sexta-feira, 13 de maio de 2016

A construção do amor

Já é o décimo segundo texto e eu ainda nem entrei em trabalho de parto. Até aqui os relatos vem doloridos. Metamorfose. A lagarta morre para que nasça a borboleta. Os dias foram passando. A barriga crescendo. E eu aprendendo a amar. Eu curti muita estar grávida. Ver a barriga crescer. Andar por ai de barriga amostra! A chance da gordinha por a barriga de fora, nesse mundo onde só se mostram barrigas negativas. E eu aproveitei. Usufrui. 
Passava o dia com pelo menos uma das mãos na barriga. Minhas colegas riam, para de cutucar esse guri"! E eu cutucava sim. E ele respondia dançando. 
Uma das imagens que eu acho mais linda de se ver é mulher grávida.. Sempre achei. Esqueci quando me descobri grávida. Depois, tornei a lembrar. Não há como não se encantar com a criação de uma vida. Não há como não se encantar com o florescer do amor.
O texto que segue é de 24 de abril de 2014.
"Eu sempre acreditei que o amor era um sentimento construído", construído dentro da gente, porque vagando pelo mundo ele existe sempre. "Construído a cada passo, a cada encontro, a cada nova descoberta juntos, nos risos e nos choros. Mas achava que amor materno era diferente... Descobriu que tinha uma vida na barriga e transbordou de alegria e amor.
Não foi assim o amor. Ele é do jeitinho que falei primeiro, antecedido ainda por pânico, medo, negação.
Era como concreto, como asfalto no meio do deserto, porta lacrada deixando o quarto escuro. Mas o encontro diário e inevitável fez um feixo de luz encontrar uma fresta na porta, de a água empoçada no concreto encontrar a rachadura e mergulhar na terra, fez semente perdida rachar o asfalto e desabrochar em flor.
Está chegando o tempo do pinto rachar a casca do ovo e sair para conhecer o mundo.
Está chegando o tempo de pegar o pinto no colo e mostrar o mundo para ele.
Está chegando o tempo de sentir o amor transbordar... de deixar o amor transbordar...
E que venha com essa enxurrada de amor todas as aprendizagens. e que onde habitava uma vida, agora habitem" mais.